domingo, 13 de abril de 2014

Fenix

Ave de pelugem rubra
Incendeie este corpo que aqui permanece
Cansado de tanto verso, congresso e nexo
que agora só quer descansar

Hibernar e rejuvenescer
voltar a ser o que nunca fora
com aquilo que sempre tivera: esperança.

Lança-me em chama e vôo
paira sobre vento leve
e traz toda aquela paz serena
do ar que te envolve e te queima.

domingo, 18 de agosto de 2013

Soneto de 2 anos

Um coelho ou um esquilo
Por dentre as flores, livros e conversas
armadilhas e peripécias
Verde contrastando com o vermelho
Castanho no olhar
e o azul do céu

Vem pra cá poetizar pra mim
declamar dizeres e planos infalíveis
E segue nesse disse-não-disse
que eu posso gostar da brincadeira

Vamos lá falar pelas entrelinhas
Eu de vestido vermelho
E você cebolinha
Fazer esse faz-de-conta
virar realidade

---

Feliz 2 anos meus amor.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Tempo Fechado

O gelo dos pés
o frio do coração
me esquenta com a sua mão
e toca
na pele
no chão

das carícias
e lagrimas
que escorrem e congelam
e petrificadas esperam
com medo de demonstrar

na saudade de quem não se espera ir
com quem se jurava para sempre estar
me ajuda amor a não deixar
nunca ela me aquecer
e não deixar de lembrar
como o amor não pede pra nascer

descansa agora no colo do amar
que a marca não se apaga
e na estação a vir ainda florescerá
todo o nosso amor, por você.

domingo, 14 de abril de 2013

Azul

Dia to tempo
Chuva no chão
Canção baixinha
Sussurro do vento e do coração

Aconchego
Tempero
Momento

Verdade
Ventania
Vontade e então

O cisco lembra o riso
Saudade que nem feitiço
Cravada em pedra e fogo
Alma gélida que o calor embebeda
A face a face que relembra
Os prazeres da vida

Do beijo
Da garoa
Da canção

Das palavras nunca ditas
As mais belas poesias escritas com os olhos
Daquelas que celebram e enfeitam os dias
Para quem mora no coração

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Esses Momentos (20 meses)

Um sorriso
a meia luz
junta com o blues
e esse teu cheiro
parece ate sonho
mas nem ele seria tão bom

as conversas sobre nada
o frio que contrasta
com o calor do abraço
dos braços enrolados
nunca cansados de se exibirem por aí unidos

esses momentos
tão marcados
são para sempre relembrados
em cada nova estada
juntos

cada vez mais a certeza é uma
de que ha dois corações que já não se separam
e que apenas possuem o pesar
de não terem antes se encontrado

Nem o tempo nem o vento
muito menos a distância
nada me rouba a esperança
e a vontade de estar em um
mesmo que quebrados em duas cidades

obrigada por esses 20 meses que passaram
e obrigada por todos os milhares que virão.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Viver, Verbo Instransitivo

bate bola do coração
grita e chora
vibra e sonha
dias e noites
em claro ou não
cheios de besteiras
e frases
seria em vão?

vem cá
que apesar dos pesares
juntinho é sempre melhor

engole o teu orgulho
que junto do meu fazemos um suco
pra tomarmos e recomeçarmos outra vez
porque viver tem dessas coisas
pelo menos viver está na frase
e é intransitivo.

terça-feira, 26 de março de 2013

Cinza

ansiedade
do vazio do amanhã
descaso descansado
no nublado da manhã

faz sol, depois fecha
e então volta clarear
mas a chuva recomeça
quando menos se pode esperar

se vai chover ou não,
já não se base mais
charmoso é,
mas não se sabe do que é capaz

ultimamente,
o tempo tem andado instável.

domingo, 24 de março de 2013

Dourada Liberdade

laranjeira, perfumado prazer
esconde-te em véus
purifica-se em olhar
se enaltece e no altar padece
de prazer e de paixão

mas e agora onde está o coração?
será que fugiu com a noiva?
ou encontra-se em repouso no meu ser?

repouso calado e quieto
que veio a se envolver
me estremecer
assim que o primeiro toque veio a calhar

será possível imaginar?


delírios calados de um coração
que sonha em voar
de vestes brancas e sapatos a combinar
com o arroz, o sino, o anel e
a laranjeira, refletida no brilho do céu
e escondida no canto da boca

voa laranjeira, voa!
que a liberdade apenas vai começar

sábado, 2 de março de 2013

o vôo da andorinha


torto,
meio curvo
cansado e
arrastado...
não era como eu havia imaginado

e pensar que sonhava ser ave
passando por dentre a brisa
brincado com as nuvens
sem destino cavado
apenas livre
sem rumo,
mar,
nem amor que marque


será que é uma troca sem pudor?

quero continuar a voar,
mas não só
pois quero um para conversar
e compartilhar a imensidão do céu e do mar...

será que é pretensão demais?

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Vontade

Vontade que da e passa
de passar e não voltar
de ir sem chegar
de arriscar
de fugir
sem sair do lugar

de estar com você
sem ter de demonstrar ou mostrar

de só estar

de longe ir morar
de pular pra frente
avançar
sem precisar
correr
sem precisar ter que ter

só viver... feliz

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Sempre ao seu lado

Dias de torpe
as vezes cegam o coração
as palavras se embolam
e o dito não dito
transforma o tempo
em perdido

queria ter logo entendido
o que se passava
no reverso do verso
na pequena escuridão de todos dias
no fundo da alma,
na vida

perdoa pela levianidade
e consola aqui tudo que pode
deixe-te ser transparente
que sozinho nada se resolve

E se algum dia
das crenças, religiões e ideias não restar nada?
Não se apresse, que lhe digo:
" - Não te preocupa. Se doer o coração vem correr pra cá, que de carinho entendo,
pois um abraço a tudo cura, principalmente quando ele não tem mais fim".


sábado, 5 de janeiro de 2013

tombo

O pior dia da sua vida não começa no confronto
ele é sorrateiro
te furta aquilo que mais lhe agrada
te deixa apenas com o chão

o pior dia da sua vida
primeiro assopra
e o que inicialmente era fresco
vira temporal

a boca seca
o tato nega
os olhos nãos e encontram mais

no pior dia da sua vida
quando o melhor dia desaba
e leva consigo o seu coração
apenas sobra
o nada,
e nada mais.

Dia

Dia do disse e do não disse
Dia para lembrar e pra esquecer
Dia em que após um lindo sol
veio uma forte chuva
Dia do pensar e do deixar sentir
Dia de chorar, gritar e lembrar
do anterior sorrir
Dia de te ver e de esquecer
de você.. e até de mim
Dia pra acabar de uma vez por todas
antes que comigo acabe
Dia de deixar de existir e sumir
pra sempre
Dia, que foi trocado pela noite
e na escuridão me pergunto:
- Será para sempre?

domingo, 30 de dezembro de 2012

não, quero te falar

quero te ligar
mas não o faço
faço charme
mas não penso
penso em correr
mas não vou
vou falar mas fujo
quero fugir mas fico
fico sem saber
e me calo
calo a tua boca mas choro
choro de tristeza
e me arrepio
então o arrepio me da medo
temo futuro e me desfaço
me desfaço te esperando pra me refazer
e então choro
imploro
rezo
lamento
e em meio sofrimento decido de uma vez ligar...
... mas você não me atende

carne viva

o sutil desejo
que faz a mente se trair
e fugir
faz sentir no peito
mas se nega na boca

a palavra se cala
com medo se retrai
banhada no orgulho
faz a ferida doer
uma dor para sentir... algo

algo além
de uma saudade ocultada,
escondida, camuflada

saudade da carne,
do chão
que parece distante,
que os pés já não podem mais tocar

pois a distância dilacera
e faz da ferida aberta
carne viva,
sentida em cada minuto
incostante,
cambaleante,
insignificante
dentre o ir e vir das pessoas

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Luz

a luz refletida
turva e imperfeita
revela uma realidade que choca
inova
me transforma
me faz querer...

a luz refletida na janela
me faz enxergar o mundo dentro e dentre tudo
que converge mesmo depois de repelir
e se adapta a visão
do querer ver...

a luz refletida na janela do teu rosto
e percebo no teu olho
uma vontade de fugir
para um mundo só seu
e então também meu
cheio do querer ver p'ra crer
todas as coisas que a vida nos reserva,

juntos,

sempre.

Nuvem

Intenso frio do céu que me consome
chega sorrateiro e cobre
como um lençol invisível
as lembranças turvas
as palavras erradas
transparece, apenas o que não lhe foi designado

traiçoeira lembrança
manipulada pela vastidão do universo
deixa-me me passar em vôo alto
me faz esquecer do chão,
me prende em solidão
sem som
sem ar
sem cheiro
sem sentimento

E então quando nada mais fala
um grito ecoa ralo
é o céu que me chama
para ver à luz das ideias

podem demorar horas, dias ou minutos
mas quando o telefone toca
a gota que escorre toca o chão
o pensamento escorre junto
e no chão do céu se abre o sol
p'ra lembrar que o mundo
te espera novamente...

... pra viver!

obrigada por ser meu céu, meu chão, minhas estrelas, minha vida.



sábado, 8 de dezembro de 2012

Fumaça

As palavras escorrem
Onde o riso não se encontra mais
Tente fugir que o mundo desabará

Com pequenas coisas pode-se construir uma grande muralha
Forjada ao tempo e no calor da emoção

Espero que este seja apenas um alarde sem existência
Mais um daqueles vazios transitórios
Que do nada nos consome e foge
E espero que nunca mais voltar

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Chinelos azuis

os chinelos azuis no chão, o coração já sabe
da ansiedade prematura até a saudade
denuncia no cheiro, na blusa, no fio de cabelo
que se escondeu na solitária escova

cada pedacinho seu que fica espalhado
à mostra
demonstra que você tem seu espacinho em todos os lugares

pedaço do céu e do chão
do véu e do coração

pedaços espalhados só esperando eu juntar
te compor
e recompor a cena
que transbordava alegria

mas acontece que não quero juntar
quero a bagunça de novo
as risadas e abraços
o meu cabelo embolado
nos seus dedos escorregadios
a sua cara de bobo
quando os braços se enroscam
e encontram os olhares

fica aí chinelo, que ele vai voltar.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

ausência


o quarto vazio
sem música
apenas o coração toca
o som da saudade